Unimed João Pessoa

Notícias

Mantenha o corpo ativo também na terceira idade; veja recomendações

A- A+
Publicada em 11/05/2018 às 07h00
Fazer atividade física é primordial para quem quer aproveitar a velhice com qualidade de vidaFazer atividade física é primordial para quem quer aproveitar a velhice com qualidade de vida

Maria Costa acabou de completar 60 anos. Chegou à terceira idade, mas, seu corpo e sua mente “dão um banho” em qualquer jovem. Tudo porque sempre investiu em atividade física. “Eu sempre fui atleta, desde criança. Mas, quando tive meus filhos, deixei essa parte esquecida. Há 5 anos, porém, senti necessidade de voltar aos exercícios físicos, já que tinha tempo livre e não queria fazer tricô”, explicou a funcionária pública aposentada.

 

Segundo Maria, a atividade física aumentou sua disposição e melhorou ainda mais sua resistência. Assim, brinca com os três netos sem cansar, mesmo que as três crianças – com 12, 8 e 3 anos de idade – tenham “energia infinita”. “O sono também melhorou bastante, sem falar na minha mente, que ficou mais descansada. Eu me sinto até mais criativa. Além disso, as dores musculares não me incomodam mais”, complementou Maria, que passa as manhãs com os netos e cuida da mãe acamada, de 85 anos.

 

De acordo com a reumatologista e geriatra, Maristé Mendes Rocha, médica cooperada da Unimed João Pessoa, fazer atividade física é primordial para quem quer aproveitar a velhice com qualidade de vida. "Quando o idoso se exercita, ele fortalece a musculatura, lubrifica as articulações e melhora o equilíbrio. Por isso, o sedentarismo tem que ser banido e as atividades físicas, específicas para a condição de saúde dele, têm que ser feitas", reforçou a médica.

 

Na terceira idade, a atividade física ajuda no combate à obesidade, evitando também o surgimento da diabetes, reduz a perda de massa óssea, diminui os riscos de quedas e de fraturas, melhora da capacidade aeróbica, redução das dores existentes nas doenças como artrose, problemas na coluna, tendinite e artrite. Ela ajuda também no aumento da flexibilidade, velocidade ao andar, diminui o risco de doenças cardiovasculares, controla a diabetes e apresenta sensação de bem-estar e autoestima.

 

“Além disso tudo, a prática de exercícios aumenta a autonomia, promove maior sociabilidade e independência pessoal, previne o surgimento de doenças relacionados ao envelhecimento, aumento do bem-estar, diminuição da depressão e da ansiedade e controle de peso corporal”, enfatizou a médica Maristé Mendes. Mas, alertou: “Antes de iniciar a atividade física, é preciso procurar um médico, por mais simples que o exercício possa parecer. O profissional irá fazer uma avaliação clínica completa, que irá estabelecer os limites ou não para determinada atividade. Recebendo a aprovação do médico, o próximo passo é procurar orientação de profissionais de educação física, escolher o exercício que mais agrada e, principalmente, respeitar os próprios limites”.

 

BENEFÍCIOS

 

Para a médica Maristé Mendes, as atividades físicas beneficiam os idosos em três aspectos. Confira, abaixo:

  • Social: aumenta a interação entre os indivíduos da mesma idade e os insere na sociedade;
  • Psicológico e/ou neurológico: exercícios melhoram o humor, diminuem a ansiedade, previnem a depressão e estimulam a memória e a aprendizagem;
  • Físico: aumento da capacidade cardiopulmonar e da flexibilidade, crescimento da massa muscular, da força e da densidade mineral óssea. Também diminui o percentual de gordura e controla o colesterol e a glicemia (taxa de açúcar no sangue), entre outros benefícios.