A- A+

Artigos Médicos

Antônio de Pádua Silveira

Antônio de Pádua Silveira

CRM-PB: 2960 Especialidade: Oftalmologista

A cegueira provocada pelo glaucoma pode ser evitada

Publicada em 18/05/2018 às 18h00

O glaucoma é uma doença ocular de grande importância, pela sua alta prevalência, por provocar cegueira irreversível e, principalmente, pela possibilidade de se evitar a cegueira, quando tratada e acompanhada pelo oftalmologista. Segundo a Organização Mundial da Saúde, é a segunda causa de cegueira no mundo (12,3%), atrás da catarata (47,8%). Estimativas internacionais indicam que em 2020 haverá cerca de 80 milhões de indivíduos com glaucoma em todo o mundo, sendo que cerca de 11 milhões destes estarão cegos. No Brasil, apesar da carência de estudos epidemiológicos, a prevalência do glaucoma é de cerca de 3,4%, conforme dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Glaucoma.

Existem alguns tipos de glaucoma, porém os mais comuns em nossa população são o glaucoma primário de ângulo aberto (glaucoma de evolução crônica), com prevalência de cerca de 2,4%, e o de ângulo fechado (glaucoma agudo), com prevalência de cerca de 1%. O aparecimento da doença depende de vários fatores de risco, sendo os mais importantes: raça negra, história familiar, idade, quanto mais avançada maior a prevalência, miopia elevada, diabetes, hipertensão ou hipotensão arterial, doenças cardiovasculares (enxaqueca), pressão elevada ou flutuação da pressão intraocular.

O diagnóstico preciso do glaucoma somente é dado pelo oftalmologista, tendo em vista a necessidade de realizar vários exames, com equipamentos apropriados. Portanto, é bastante comum o atendimento pelos oftalmologistas de pacientes com a doença em estágio avançado, devido ou a não ida ao médico regularmente para avaliação ou a realização de exames por outros profissionais não médicos, desabilitados para tal prática. O controle da progressão da doença depende inteiramente do acompanhamento dos pacientes, com o intuito de manter a pressão em níveis aceitáveis. Em relação ao tratamento, inicia-se com a prescrição de colírios que reduzem a pressão intraocular, passando para procedimentos cirúrgicos variados, quando o uso de medicação não consegue controlar a pressão.

Pelo exposto acima, recomenda-se que todas as pessoas acima de 30 anos de idade devem visitar seu oftalmologista com a regularidade que ele indicar, seguindo rigorosamente o tratamento, caso seja definido o diagnóstico. Somente assim podemos evitar o mal maior e indesejável, ou seja, a cegueira, já que a pior característica do glaucoma é sua evolução silenciosa e assintomática. Por isso, é popularmente conhecido como “o ladrão sorrateiro da visão”.