A- A+

Artigos Médicos

Lia Tacia Costa Cavalcante

Lia Tacia Costa Cavalcante

CRM-PB: 6865 Especialidade: Otorrinolaringologia

Escuto zumbido: como resolver?

Publicada em 10/03/2017 às 18h00

Sabe aquela sensação de escutar zumbido o tempo todo? Parece até que tudo em volta tem um som diferente, sem contar o incômodo. É uma sensação de que algo está errado e não se sabe exatamente o quê.

O zumbido é um som percebido nos ouvidos ou na cabeça sem que haja uma fonte sonora ao redor. De forma mais clara, o zumbido é toda percepção de som na ausência de um estímulo sonoro correspondente no ambiente à sua volta. Trata-se de um sintoma, não de uma doença, e numa mesma pessoa pode ter várias causas, bem como muitas doenças podem causar essa sensação.

De acordo com pesquisa da American Public Health Agency, o zumbido é o terceiro sintoma que mais causa incômodo, perdendo apenas para dor e tontura intensas e intratáveis. Não tão raro, acomete 17% a 24% da população em alguns países. Possivelmente, pelo menos 28 milhões de brasileiros já vivenciaram esse sintoma em alguma circunstância.

Existem diversos fatores que levam ao surgimento do zumbido, como exposição constante a sons altos, traumas em ouvido, uso por longas horas de aparelhos de celular, alterações no metabolismo e muitos outros, que também já foram confirmados em pesquisas.

O zumbido pode vir associado a outros sintomas como perda auditiva (90%), tontura, vertigem e intolerância a sons (20% a 40%), tendo a qualidade de vida das pessoas prejudicada substancialmente.

Embora este quadro possa parecer dramático, raramente está relacionado a causas graves e pode ter solução, merecendo, assim, uma investigação detalhada e personalizada para que seja escolhido o tratamento adequado para cada caso.

A boa notícia é que hoje em dia, pelo crescente interesse no assunto, existe aumento substancial de publicações sobre o tema, levando a obter melhores resultados terapêuticos do que antigamente. São várias as opções de tratamento, e estas devem ser personalizadas caso a caso. Para alguns pacientes, uma abordagem multiprofissional e mais abrangente é indispensável. O ideal é procurar o quanto antes um especialista para identificar as causas e o devido tratamento.