A- A+

Artigos Médicos

Lia Tacia Costa Cavalcante

Lia Tacia Costa Cavalcante

CRM-PB: 6865 Especialidade: Otorrinolaringologia

Nem toda tontura é labirintite

Publicada em 29/06/2018 às 18h

O equilíbrio corporal é uma condição fundamental na vida de qualquer pessoa e seu comprometimento pode trazer ansiedade, dificuldade de locomoção, desorientação, exclusão e isolamento social. É cada vez mais comum nos consultórios as pessoas se queixando de tontura sem causa aparente, seja ao levantar da cama, seja em afazeres domésticos, ao abaixar ou levantar a cabeça, na academia se exercitando. São várias as situações. Agora, desde já, é bom esclarecer que não é normal e é aí onde mora o perigo, porque essa sensação pode influenciar negativamente na qualidade de vida das pessoas.

As pessoas chamam de tontura as sensações relacionadas à percepção do próprio corpo no espaço ou sensações que nem elas sabem definir muito bem e logo já caracterizam que têm labirintite, o que não é bem assim. Labirintite é um termo usado para se referir a uma doença infecciosa, comprometendo o equilíbrio de forma intensa e bem incapacitante, o que ocorre de forma rara. Lembrar que o labirinto é uma estrutura da orelha interna próximo à cóclea (responsável pela audição), podendo assim gerar também alterações auditivas diante de um processo infeccioso.

Entre as inúmeras origens de tontura, a mais frequente ocorre por distúrbios metabólicos/hormonais; dentre eles, o mais comum é a alteração do metabolismo do carboidrato. Pesquisas mostram que de 30% a 90% das pessoas que sentem tontura apresentam distúrbios da glicemia e/ou da insulinemia. Desta forma, estar sempre em dia com as taxas de colesterol e triglicerídeos é uma forma de evitar as tonturas.

A investigação diagnóstica de um paciente que apresenta qualquer tipo de tontura tem como finalidade identificar a causa e, o mais importante, o tratamento adequado diante de várias possibilidades. Agora, a boa notícia é que tontura tem CURA sim e pode ser mais fácil tratar do que se pensa, desde que se encontre um diagnóstico correto e, dessa forma, um tratamento eficiente. Aos primeiros sinais de tontura, é recomendado procurar um médico, pois quanto mais cedo o tratamento for realizado maiores são as chances de cura. Manter sempre hábitos saudáveis com alimentação balanceada, associados a boas horas de sono e atividade física, fazem a diferença e garantem qualidade de vida longe de tonturas.