A- A+

Artigos Médicos

Sebastião de Oliveira Costa

Sebastião de Oliveira Costa

CRM-PB: 1630 Especialidade: Pneumologista

Alergias do inverno e verão

Publicada em 19/08/2016 às 18h

Durante o tempo chuvoso, quem manda no pedaço são os ácaros e os fungos. São o frio e a chuva impondo o quarto de dormir fechado, e a escuridão e a umidade favorecendo a proliferação daqueles alérgenos. E tome espirros, coceira (nariz, olhos), coriza, obstrução nasal, sintomas característicos da rinite alérgica. Sorte de quem fica só na rinite. É que, de cada 10 portadores dessa alergia respiratória, três deles, em algum momento, vão se tornar asmáticos e conviver com sintomas bem mais desagradáveis, como a tosse, o chiado, e o cansaço. Não se pode deixar de referir que as mudanças climáticas também atuam como potentes desencadeadores de alergias respiratórias.

As recomendações para os alérgicos respiratórios nessa época do ano passam naturalmente pelo cuidado de, sempre que o sol ressurgir, abrir janelas e portas para arejar e iluminar o quarto. Ácaros e fungos não têm a menor afinidade com a luz do sol. Vale a pena ainda manter travesseiro e colchão descobertos: os ácaros, que têm hábito noturno, ficam durante o dia embaixo dos lençóis, aguardando a escuridão para sair e se alimentar. No cardápio, escamas de pele das pessoas.

No verão, vão-se as chuvas e o frio; chegam o sol, o mar, a praia. Saem de cena os ácaros e fungos e entram na avenida os alimentos. Na comissão de frente, o caranguejo, os frutos do mar, o amendoim... a infernizar a vida dos alérgicos com a coceira imensa das urticárias. Correndo por fora, os refrigerantes, repletos de aditivos químicos, e os sucos de frutas cítricas, bastante apreciados no calorzão da época. Muito cuidado com o angiodema (inchação nos lábios e olhos) e, mais ainda, com o edema de glote.

Nas alergias, é sempre importante definir um diagnóstico específico. O teste alérgico é de grande utilidade na identificação dos fatores alergênicos, enquanto o exame de sangue IgE específico vai orientar na definição de um tratamento com imunoterapia, especialmente nas alergias respiratórias.

Rinite, asma, urticárias... Em qualquer um dos casos, o mais sensato é buscar a competência e a segurança de um consultório especializado.