A- A+

Artigos Médicos

Sebastião de Oliveira Costa

Sebastião de Oliveira Costa

CRM-PB: 1630 Especialidade: Pneumologista

Pneumonia X Tuberculose

Publicada em 17/03/2017 às 18h00

O leigo confunde muito. No meio médico, até o estudante de medicina diferencia.

É que a pneumonia é agudíssima. Começa hoje e amanhã todos os sintomas - tosse, secreção, febre alta - surgem em toda a sua plenitude. A tuberculose é uma infecção essencialmente crônica. Dois, três meses de tosse, secreção, às vezes sanguinolentas, febrícula à tarde, perda de peso.

Por trás da pneumonia, diversas bactérias (e vírus) desencadeando os seus sintomas; na tuberculose, apenas o bacilo de Koch.

Na investigação diagnóstica, o raio X e o leucograma são fundamentais na pneumonia; na tuberculose, o mesmo raio X e o exame de escarro (baciloscopia).

Vale destacar o grande poder de contágio da tuberculose, que ocorre através da tosse e gotículas de saliva. A pneumonia tem baixo poder de transmissibilidade.

As bactérias da pneumonia lambem o pulmão sem deixar marcas. O bacilo de Koch morde (e come) o pulmão,produzindo sequelas definitivas.

A pneumonia é uma doença democrática, não discrimina classes sociais. O bacilo da tuberculose tem uma predileção toda especial pelas camadas sociais menos favorecidas.

Crianças menores de 2 anos e adultos acima dos 60 anos, pela fragilidade imunológica, são os mais acometidos pelas pneumonias. A tuberculose atinge com bem mais frequência o adulto jovem.

Tratamento da pneumonia: 7 dias com um único antibiótico. A resistência do Bacilo de Koch exige 6 meses de tratamento com 4 antibióticos.

Na biografia da pneumonia, história de muita mortalidade. No currículo da tuberculose, sequelas respiratórias com repercussões irreversíveis na qualidade de vida.

Tosse aguda ou crônica com febre alta ou baixa, adulto ou criança, não tem conversa, é pegar o telefone e agendar logo uma visita ao consultório do especialista.