Unimed João Pessoa

Notícias

Dicas para você curtir o carnaval com mais saúde, alegria e disposição

A- A+
Publicada em 21/02/2020 às 07h
Os dias de carnaval podem ser animados e inesquecíveis, mas precisam de cuidadosOs dias de carnaval podem ser animados e inesquecíveis, mas precisam de cuidados

Os dias de carnaval costumam ser bem animados e cheios de programações. Cada momento pode ser inesquecível e cheio de boas lembranças. Mas, para isso, é preciso ter cuidado para que essas recordações não sejam de problemas. Por isso, reunimos várias dicas bem legais para preservar sua saúde durante os festejos de Momo. 

SAÚDE DO CORAÇÃO

A maratona dos blocos de carnaval costuma começar de manhã e se estender até a noite em muitas cidades. Você está preparado para tamanha movimentação?

O termo maratona é apropriado. Afinal, segundo os cardiologistas, acompanhar muitos blocos na sequência pode equivaler a uma corrida de 10 quilômetros.

Além disso, o carnaval foi tema de artigo publicado no International Journal of Cardiovascular Sciences. O consumo exagerado de bebidas alcoólicas, cigarros, drogas e energéticos torna comuns nesta época do ano os casos de arritmias cardíacas e infartos.

Logo, é importante reconhecer os limites do seu corpo e não se deixar levar pela empolgação da multidão. Em resumo, moderar ou evitar o álcool, dizer não às demais drogas, manter-se bem alimentado e beber muita água.

ALIMENTAÇÃO E ÁGUA

O combo samba, suor e cerveja retira muito líquido do seu corpo. Consequentemente, isto pode levar à desidratação, queda da pressão e desmaios. Por isso, ingerir bastante água é fundamental. A princípio, água de coco também é uma ótima pedida para repor os sais minerais perdidos.

O bloquinho dos nutricionistas está alerta e avisando: opte por comidas leves, de fácil digestão e nutritivas. Ou seja, mantenha o café da manhã e o almoço reforçados – equilibrando vegetais, frutas, cereais integrais e proteínas. Afinal, são essas refeições que garantem boa parte do combustível e ajudam a diminuir a absorção do álcool no organismo.

Além disso, a ala da nutrologia e nutrição recomenda lanchinhos entre um bloco e outro. Mas atenção às condições de higiene ao comer na rua: não deixe que uma intoxicação alimentar interrompa a sua festa.

E anote a dica: castanhas, barras de cereais e maçãs são fáceis de carregar na bolsa ou pochete e ajudam a repor as energias.

ALONGUE-SE

Quatro ou mais dias de folia exigem muito das articulações e dos músculos, por isso, é importante alongar e aquecer o corpo antes do samba. Além disso, aposte em sapatos confortáveis para proteger seus pés de ferimentos e os joelhos contra os impactos.

PROTETOR SOLAR

A ala dos dermatologistas alerta para a necessidade do protetor solar nos blocos diurnos e para a qualidade da maquiagem, brilho e glitter. Eventualmente, produtos de origem duvidosa podem causar alergias ou dermatites de contato. Para o figurino, recomendam:

TECIDO SINTÉTICO

Evitar ficar com roupas molhadas por muito tempo, pois podem provocar micoses

Que tal apostar em fantasias que incluem chapéu? Com toda a certeza você vai unir proteção à diversão.

CUIDADO COM O SOM

Não importa se está tocando marchinha, samba, axé ou frevo: no carnaval, o volume costuma ser alto e o resultado disso pode ser uma lesão na laringe ou nos ouvidos. E todos queremos sair com a audição em dia depois da festa, certo?

Enquanto no dia a dia nossos ouvidos suportam uma intensidade de 85 decibéis por cerca de 8 horas, no carnaval a intensidade chega a 120 decibéis. Aliás, nesse caso, a tolerância humana cai para apenas 15 minutos.  

USE PRESERVATIVO

Afinal, é impossível falar de carnaval sem falar da importância do uso de preservativo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), por dia, 1 milhão de pessoas adquirem infecções sexualmente transmissíveis no mundo. Isso significa que algo como 700 indivíduos são infectados por minuto – todos os dias.

Por isso, preservativos devem fazer parte da fantasia seja na relação vaginal, anal ou oral. Com esse adereço, você se protege contra HIV, HPV e outras infecções, como clamídia, gonorreia, tricomoníase e sífilis – além de uma gravidez indesejada.

*Com informações da Unimed do Brasil