Unimed João Pessoa

Notícias

Cuidados contribuem para uma gestação saudável após os 35 anos

A- A+
Publicada em 22/07/2019 às 07h
Pré-natal deve começar antes mesmo de a mulher engravidar, com uma consulta pré-concepcionaPré-natal deve começar antes mesmo de a mulher engravidar, com uma consulta pré-concepciona

Muitos casais optam por ter filhos mais tarde, e a idade é um fator que faz a diferença para a gestante. A idade da mulher pode ser um dificultador nos processos da concepção, gestação e parto, de acordo com a Federação Brasileira das Associações de Ginecologista e Obstetrícia (Febrasgo), já que o óvulo envelhece à medida que a mulher vai ficando mais velha também.

Ou seja, a partir dos 30 anos, a taxa de fertilidade começa a cair. A partir dos 35 anos, esse processo acelera e a mulher pode começar a sentir dificuldades para engravidar, e os riscos de aborto espontâneo e de o bebê nascer com algum tipo de má formação também aumentam.

Mas isso não é motivo para alarde, afinal, são incontáveis as mulheres que engravidam de forma natural após os 35 e até aos 40 anos. Se você faz parte do time que cuida da saúde, faz atividade física e tem uma alimentação saudável e sem vícios, já ganha pontos tanto para facilitar uma gravidez e, principalmente, para levar a gestação adiante.

Ou seja, a opção de postergar a maternidade pode ser necessária, mas manter-se atenta e buscar uma gestação tão logo seja possível, tende a minimizar dificuldades e estresse futuros.

  • Gravidez tardia saudável

Cuidar da saúde e contar sempre com a orientação médica são fatores fundamentais para levar mais tranquilidade a essa gestação.

  •  Consulta pré-concepcional

Tão logo o desejo de engravidar apareça e as condições sejam propícias, a primeira atitude a se tomar deve ser procurar um médico ginecologista, para fazer um bom planejamento da gravidez. Afinal, segundo os especialistas, o pré-natal deve começar antes mesmo de a mulher engravidar, com uma consulta pré-concepcional.

Nessa consulta, o ideal é que o casal compareça, pois ela poderá servir principalmente para conhecer o histórico de saúde dos dois, permitindo acompanhar melhor a futura gestante e o bebê que estará a caminho.

  • Investigação com exames são fundamentais

Alterações como colesterol e triglicérides altos, diabetes e hipertensão não costumam ser impeditivas para a gestação, mas será fundamental controlar a doença antes de engravidar, tanto para melhorar a fertilidade como para ter uma gestação mais tranquila e um bebê saudável.

Também é importante que doenças infecciosas sejam tratadas ou prevenidas antes da concepção. Sendo assim, uma série de exames para detecção dessas enfermidades geralmente é solicitada pelo médico antes de se tentar engravidar. Um hemograma completo, por exemplo, ainda é capaz de avaliar graus de anemia e permitir tratá-la, e exames de ultrassonografia também podem ser importantes para afastar alterações que possam dificultar a concepção.

  • Dieta e suplementação

Você não precisa esperar engravidar para fazer a suplementação com ácido fólico, importante para prevenir alterações do tubo neural do feto. A suplementação sob prescrição e orientação médica é recomendada três meses antes de você tentar engravidar.

Com informações da Unimed do Brasil