Unimed João Pessoa

Notícias

Entenda como é administrar o maior hospital da rede privada da Paraíba

A- A+
Publicada em 02/07/2020 às 07h
Alberto Urquiza integra a rede própria da Unimed JP: referência em alta complexidade e covid-19 Alberto Urquiza integra a rede própria da Unimed JP: referência em alta complexidade e covid-19

Administrar um hospital em situações “normais” é uma tarefa complexa. Fazer isso enquanto o mundo passa pela pandemia de covid-19, considerada uma das maiores da história da humanidade, é muito mais desafiador. Exige estratégia, estrutura e bons profissionais. E quanto maior a instituição, maiores os desafios. Essa é a realidade do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, unidade própria da Unimed João Pessoa, referência em alta complexidade e no tratamento aos clientes infectados pelo novo coronavírus.

O gestor de Serviços Hospitalares da Unimed JP, Cleiton Moradillo, disse que, apesar da experiência em administrar hospitais, fazer isso durante a pandemia está sendo diferente e desafiador. “Nem nós administradores, nem os médicos, nem pacientes... ninguém tinha passado por um momento como este. Então, salvar vidas neste momento está sendo desafiador”, comentou.

Cleiton explicou que um hospital é a unidade mais complexa que existe para a administração. Além da prestação do serviço em saúde em si, que é do conhecimento comum, existem muitas outras atividades. “Um hospital é uma ‘cidade’ com bombeiros, padeiros, seguranças, lavanderia... Tudo feito de modo diferenciado, com a linguagem hospitalar. Temos que raciocinar e agir para tomadas rápidas de decisão, pois a vida das pessoas depende disso”, afirmou.

PROVIDÊNCIAS

Cleiton Moradillo, gestor de Serviços Hospitalares da Unimed João PessoaLogo que surgiu o primeiro caso suspeito de contágio pelo novo coronavírus no Brasil, uma das primeiras providências adotadas no Alberto Urquiza Wanderley, que é o maior hospital privado da Paraíba, foi criar o Núcleo Estratégico de Enfrentamento à Covid-19 e elaborar um plano emergencial. O desafio era fazer com que os serviços oferecidos continuassem funcionando - garantindo qualidade no atendimento, insumos e medicamentos necessários e segurança e saúde para os colaboradores, médicos e clientes - e colocar em prática os novos protocolos e fluxos para lidar com a covid-19.

O Hospital Alberto Urquiza foi, praticamente, transformado em duas unidades dentro do mesmo prédio. Isso foi feito para que pacientes com confirmação ou suspeita de covid-19 possam ser atendidos da melhor forma e as pessoas com outras enfermidades também recebam assistência. E deu certo. Nos últimos três meses, foram atendidas presencialmente mais de 14 mil pessoas no Hospital Alberto Urquiza. Metade com sintomas gripais.

Para garantir a segurança, as equipes de atendimento, os locais de internação e observação e os elevadores, por exemplo, foram separados para “pacientes covid-19” e “pacientes não-covid-19”. A gestão também teve o cuidado de envolver as equipes, de todos os níveis hierárquicos, com os processos. Os fluxos e protocolos foram amplamente divulgados e os profissionais treinado para colocá-los em prática. Além da equipe de saúde, os colaboradores administrativos - que cuidam da alimentação, da limpeza e da segurança, por exemplo - também precisam saber como agir, nas mais diversas situações, de forma rápida, segura e assertiva.

INOVAÇÃO              

O hospital também inovou e investiu em tecnologia e novas terapias. No mês passado, começou a utilizar uma plataforma robótica para auxiliar no tratamento de clientes infectados com o novo coronavírus.

O Alberto Urquiza também foi pioneiro no Nordeste em duas iniciativas: na utilização do plasma convalescente no tratamento da covid-19; e no uso de cateter nasal de alto fluxo, um tipo de oxigenoterapia feita de forma não invasiva, no próprio apartamento, deixando o paciente mais confortável do que quando usa máscaras e capacetes. Além disso, oferece ainda a tomografia por bioimpedância elétrica, que permite a visualização dos melhores parâmetros respiratórios sem a necessidade de deslocar o doente do leito.

ESFORÇOS

Cleiton Moradillo destacou que a Unimed JP, que é o maior plano de saúde da Paraíba, não está medindo esforços para salvar a vida dos pacientes. Desde o início da pandemia, já foram mais de 500 pacientes com covid-19 recuperados. “Nosso objetivo maior é salvar vidas e, apesar de não medirmos esforços para isso, é preciso administrar o hospital de maneira que ele possa continuar atendendo ao paciente, considerando, inclusive, os aspectos financeiros”, disse.

Todo esse trabalho gera segurança e, consequentemente, confiança. “O Alberto Urquiza continua sendo o maior e mais confiável hospital particular do Estado. A estrutura, o corpo clínico, os profissionais do hospital têm credibilidade. Quando o paciente nos procura, ele sabe que terá o atendimento completo garantido, com a segurança que ele espera”, garantiu Moradillo.

DIA DO HOSPITAL

Esses são bons motivos para os paraibanos comemorarem nesta quinta-feira (2), mesmo em meio à pandemia, o Dia do Hospital. A Unimed João Pessoa administra dois hospitais próprios. Além do Alberto Urquiza Wanderley, tem também o Moacir Dantas, que é referência em atendimento pediátrico.

Os clientes do plano de saúde contam ainda com outras unidades hospitalares bem estruturadas na rede de atendimento credenciada para colocar em prática a filosofia do Sistema Unimed: um jeito especial de cuidar, independentemente dos desafios impostos por qualquer situação circunstancial, como a pandemia de covid-19.