Unimed João Pessoa

Notícias

Hospital Alberto Urquiza usa o lúdico para tratar pacientes pediátricos

A- A+
Publicada em 09/12/2019 às 07h
O Brinquedo Terapêutico proporciona uma assistência humanizada para o paciente O Brinquedo Terapêutico proporciona uma assistência humanizada para o paciente

Tratar um paciente não é só fornecer medicação, mas também fazer com que ele se sinta bem, acolhido e cuidado. Para isso, o Hospital Alberto Urquiza Wanderley, unidade própria da Unimed João Pessoa, desenvolve diversas ações de humanização. Uma delas é o Brinquedo Terapêutico, técnica que utiliza brinquedos, histórias infantis e até os próprios insumos do tratamento para dar mais confiança aos pequenos pacientes e seus acompanhantes.

Essa técnica ajuda as crianças a aceitarem melhor o tratamento e contribuem com sua própria recuperação. Além disso, os pais aprendem como ajudar no tratamento do filho, tanto durante a internação, quanto em casa.

As brincadeiras permitem ao profissional a compreensão dos sentimentos da criança, fortalecendo o vínculo da equipe com toda a família. Durante o processo, as crianças recebem informações, de forma lúdica, sobre os procedimentos que estão passando e que ainda vão passar.

ATENDIMENTO INDIVIDUALIZADO

Ao por em prática o Brinquedo Terapêutico, o profissional realiza um atendimento individualizado. Batas coloridas, adereços, fantoches e jogos são utilizados pelos profissionais. E o interessante é que todos da equipe multiprofissional participam: enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais e farmacêuticos.

A fonoaudióloga Maria das Graças Ribeiro Souza Vilar explicou que adoecer é um evento não esperado na maioria das vezes, e implica na exposição do indivíduo à vulnerabilidade da natureza física, social e psicológica. “O objetivo do Brinquedo Terapêutico é amenizar o processo de hospitalização na criança”, argumentou.

Maria das Graças tem uma companheira para ajudar em alguns dos casos quando o Projeto Brinquedo Terapêutico é aplicado. É Helena Ribeiro Souza Vilar, uma boneca. Com Heleninha, Maria das Graças ensina manejos importantes que devem ser realizados no pacientes após passar por procedimentos, como é o caso de mostrar a um cuidador como alimentar um bebê que passou por traqueostomia.

“Quando as crianças apresentam um quadro de grande criticidade e necessita utilizar dispositivos como traqueostomia e gastrostomia, geralmente a família se assusta. Para ajudá-los a realizar o manuseio e cuidados necessários, utilizamos uma boneca que tem esses dispositivos”.

HUMANIZAÇÃO

Além do Brinquedo Terapêutico, outros projetos de humanização são desenvolvidos para as crianças que estão internadas na pediatria ou na Unidade de Tratamento Intensivo. As crianças internadas no Hospital Alberto Urquiza Wanderley contam com um atendimento acolhedor e direcionado para suas necessidades. Veja alguns deles:

  • Musicoterapia
  • Redinha
  • Paciente exemplar
  • Brinquedoteca