A- A+

Artigos Médicos

Elisabete Almeida Brilhante

Elisabete Almeida Brilhante

CRM-PB: 5951 Especialidade: Angiologista e cirurgiã vascular

Cuidados com as varizes

Publicada em 01/03/2019 às 18h

Varizes são veias dilatadas, tortuosas e alongadas dos membros inferiores. Geralmente mais comum em mulheres e idosos. Apesar de, às vezes,  ser tratado como um problema estético, as varizes resultam em redução importante na qualidade de vida, e são consideradas fatores de risco independente para trombose venosa profunda (TVP). Fatores de risco para varizes incluem idade, sexo feminino, longos períodos em pé ou sentado, história familiar, obesidade, gravidezes múltiplas e após trombose venosa.

Quando ambos os pais têm varizes, os filhos têm 90% de chance de tê-las. Fumo, dieta, uso de salto alto, uso de hormônios, na origem das varizes, permanecem controversos. As varizes decorrem da hipertensão nas veias, que desencadeia um processo inflamatório crônico, que está associado à sintomatologia.

As varizes podem levar a dor, peso, desconforto, inchaço, pernas inquietas, fadiga, queimação, formigamento, coceira, câimbras noturnas, pele escurecida e grossa, e úlceras. Os sintomas pioram no final do dia, durante o ciclo menstrual e no calor, e são aliviados pela elevação dos membros e uso de meias elásticas.

A história natural é de uma doença crônica, progressiva, que não tem cura, mas tem controle. Antes de considerar qualquer intervenção, um exame de ultrassonografia com Doppler, para avaliar as veias profundas e superficiais dos membros inferiores, é fundamental  para confirmar o diagnóstico e fornecer detalhes anatômicos.

As opções de tratamento variam desde medidas conservadoras como meias elásticas, mudanças de estilo de vida (perda de peso e elevação das pernas) e medicamentos. A primeira linha de cuidados conservadores é a meia de compressão elástica.

As opções de tratamento invasivo dependem dos sintomas, tamanho e localização das varizes, e preferência do paciente. Os procedimentos variam desde a secagem dos vasinhos até a cirurgia convencional ou técnicas minimamente invasivas (que causam menos dor e complicações).