A- A+

Artigos Médicos

Lia Cavalcante

Lia Cavalcante

CRM-PB: 6865 Especialidade: Otorrinolaringologia

Tontura é coisa séria

Publicada em 18/04/2019 às 18h

Pensar em tontura, para a maioria da população, é pensar em labirintite. Essa confusão entre os nomes “Tontura” e “Labirintite” é comum. É fato que estamos falando da terceira queixa mais comum em pronto-socorro, mas a tontura pode não ser um quadro relacionado apenas ao labirinto e é aí onde devemos ficar atentos. Tontura é coisa séria

Labirintite significa inflamação do labirinto. Porém, quase nunca é o nome correto do problema que a pessoa tem. Por isso, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia realiza campanhas para esclarecer essas diferenças. Esse ano, o tema é “Tontura é coisa séria”. O objetivo é alertar a população e os médicos da seriedade que devemos ter diante de um sintoma tão frequente.

A palavra “Tontura” é constantemente usada para significados diferentes como sensação de que tudo gira, sensação de desmaio, desequilíbrio, incapacidade de andar direito. Então, tontura pode, sim, ter causas diferentes, podendo até ser um problema neurológico, cardíaco ou psiquiátrico.

Os quadros de tontura podem acometer qualquer pessoa, mas existem cuidados que podemos ter para evitar esse sintoma. Orientações básicas, como boa ingesta de água, evitando alimentos gordurosos e ricos em açúcar refinado, sem abusos de alimentos com cafeína e a realização de atividade física regularmente, nos garantem evitar alguns tipos de tontura.

De fato, existem muitas outras doenças do labirinto como a Doença de Meniere, VPPB, Cinetose que estão mais presentes no nosso dia a dia do que a labirintite verdadeira. O labirinto é um órgão sensorial que detecta os movimentos que fazemos. É um “sentido”, assim como a visão, olfato, audição, paladar e tato.

A avaliação médica de forma correta nos garante um diagnóstico adequado. Podemos ter um tratamento medicamentoso ou com exercícios do equilíbrio ou até a necessidade de cirurgia. Por isso, mais uma vez, é bom destacar que tontura é coisa séria! Não se pode tratar algo que não foi diagnosticado. Isso pode prejudicar a qualidade de vida do paciente com uso de medicações erradas e desnecessárias, podendo até piorar o quadro clínico.