Artigos Médicos

Gripe

Publicada em 06/05/2007 às 00h

Parece inofensiva, mas não é. A banalização dessa virose que todo ano nos visita fica por conta da população que, com muita freqUência, coloca no mesmo saco a gripe, o resfriado comum e as alergias respiratórias. Os sintomas até que se confundem "" tosse, coriza, garganta irritada, espirros, nariz obstruído etc., mas na gripe eles são bem mais intensos, duram cinco a sete dias, cursam com febre altíssima, cefaléia, falta de apetite e dores musculares generalizadas. Muitas vezes prosta o paciente, o adulto perde o trabalho e a criança não vai à escola. Repouso, alimentação diversificada, ingestão de bastante líquido são recomendações que atenuam os sintomas e podem evitar as complicações. Consulta com um especialista é indispensável.

Ao contrário do resfriado comum, que é provocado por pelo menos 200 vírus diferentes e se repete com freqUência ao longo do ano, a gripe tem como agente etiológico o vírus Influenza e aparece quase sempre no período chuvoso. Sua enorme capacidade de transmissibilidade, aliada à agressividade dos sintomas e à gravidade de suas complicações "" a pneumonia é a mais importante -, mata todo ano dois milhões de pessoas em todo o mundo. Nos EUA, ela é responsável anualmente por 200 mil internações hospitalares, com perda de 2,5 milhões de dias/trabalho.

É importante saber que nas faixas etárias mais jovens o período de transmissibilidade é mais prolongado e que se deve evitar que crianças com sintomas respiratórios nessa época do ano freqUentem o colégio. Isso se constitui medida profilática de grande utilidade para reduzir a disseminação da doença. Não se pode deixar de lembrar que a vacina é o único meio seguro de prevenção contra a gripe.

Sua eficácia gira em torno de 70%, mas os não imunizados que contraírem a doença, certamente, vão ter os sintomas bem mais brandos, com risco mínimo de adquirirem complicações. Além dos maiores de 60 anos, público-alvo da campanha governamental, os diabéticos, portadores de doenças cardiovasculares, imuno-deprimidos, nefropatas crônicos, pacientes com enfisema pulmonar e asmáticos, mesmo fora dessa faixa etária, estão formalmente indicado à aplicação da vacina.
Sebastião de Oliveira Costa

Sebastião de Oliveira Costa

CRM-PB: 1630

Especialidade: Pneumologia

Mais artigos de Sebastião de Oliveira Costa