Artigos Médicos

Viroses respiratórias

Publicada em 11/05/2008 às 00h

Convém lembrar que as chuvas não trazem apenas o mosquito da dengue. Com elas, chegam também muita tosse, secreção, corrimento nasal, dor de garganta e febre, sintomas característicos das viroses respiratórias. Não vamos confundir: no resfriado comum predominam as manifestações nasais como coriza, espirros, algumas vezes acompanhadas de dor de garganta, tosse e febrícula. Esses sintomas, muito semelhantes aos da rinite alérgica (prurido nasal, ausência de febre), desaparecem espontaneamente em dois ou cinco dias, mas podem se repetir várias vezes ao longo do ano. Pelo menos, 200 vírus diferentes podem desenvolver o resfriado comum, destaque especial para o sincicial respiratório e o rinovirus que, em crianças predispostas, costumam desenvolver a dispnéia e o "chiado", sintomas comuns da asma brônquica.

A melhor maneira de identificar a gripe é observar a agressividade dos sintomas que duram em média de 5 a 7 dias. A tosse, a secreção e principalmente a febre ocorrem com muito mais intensidade e se deixam acompanhar por cefaléia, perda de apetite acentuada e dores musculares. A criança não vai ao colégio; o adulto perde o trabalho.

Muito cuidado com as complicações. O vírus Influenza, único responsável pela gripe (ao contrário do resfriado, só ocorre uma vez ao ano), além de produzir bastante secreção, provoca necrose celular e de quebra ainda diminui a resistência orgânica do paciente, um prato cheio para as bactérias. Repouso, forçar uma alimentação variada e hidratar com sucos diversificados são orientações que podem evitar a sinusite, a bronquite e a pneumonia, complicações mais freqUentes dessa virose que, aparentemente inofensiva, costuma engrossar as estatísticas de mortalidade com 10 a 20 mil óbitos todo ano.

É importante afirmar que na virose respiratória é perfeitamente dispensável se recorrer aos serviços de Pronto Atendimento. A conduta mais sensata é agendar uma visita ao consultório do especialista.
Sebastião de Oliveira Costa

Sebastião de Oliveira Costa

CRM-PB: 1630

Especialidade: Pneumologia

Mais artigos de Sebastião de Oliveira Costa