A- A+

Blog da Saúde

Unimed João Pessoa abre inscrições para turmas do Grupo Mãe e Bebê

Publicada em 29/05/2019 às 07h
Unimed João Pessoa abre inscrições para turmas do Grupo Mãe e Bebê

A gestação é um momento único na vida da mulher e envolve toda a família. A chegada do bebê traz muitas expectativas, alegrias e, é claro, uma série de mudanças. Independentemente do número de filhos que tenha, cada gravidez é única e traz preocupações específicas que podem refletir no trabalho de parto e na integração do novo membro à família.

Com o objetivo de acompanhar a cliente gestante, deixando-a tranquila e segura nessa fase da vida, a Unimed João Pessoa oferece gratuitamente o Grupo de Educação em Saúde Mãe e Bebê. Durante vários encontros, uma equipe interdisciplinar aborda, em cursos e oficinas, assuntos que abrangem desde a gestação à amamentação, incluindo, os cuidados com o bebê. O grupo é voltado para clientes grávidas, puérperas e lactantes. Em algumas reuniões, é possível levar um acompanhante (esposo ou outro familiar).

INSCRIÇÕES

O Grupo Mãe e Bebê está com inscrições abertas para novas turmas. Estão sendo disponibilizados horários pela manhã e à noite. Cabe ao cliente escolher o que melhor se adéque à sua rotina. O grupo diurno terá uma nova turma no dia 3 de julho - com seis encontros - das 8h às 12h.  Já o noturno será iniciado no dia 25 de julho, das 18h às 22h - com cinco encontros. Todas as atividades ocorrem no Viver Melhor, na Avenida Bento da Gama, nº 396, Torre, próximo à sede da Unimed JP.

As inscrições podem ser feitas no Portal Unimed JP (www.unimedjp.com.br/viver-melhor), mas CLIQUE AQUI  e vá direto à página. A pessoa interessada ainda pode garantir a sua vaga pelos telefones 2106-0430 e 3506-8700 ou no próprio Viver Melhor (Avenida Bento da Gama, nº 396, Torre). Ao se inscrever, a cliente deve marcar a opção "manhã" ou "noite"; feito isso, participará de todos os encontros no horário escolhido.

Unimed João Pessoa cria grupo para ajudar clientes a deixar o tabagismo

Publicada em 15/05/2019 às 07h
Unimed João Pessoa cria grupo para ajudar clientes a deixar o tabagismo

A saúde e qualidade de vida se adquirem através de uma alimentação balanceada, prática regular de exercício físico e um estilo de vida equilibrado. Mas, há alguns hábitos que desestabilizam o organismo, provocando muitos males. Um deles é fumar. O tabaco é um dos principais inimigos da saúde. Seus efeitos negativos são tantos que prejudicam até mesmo os fumantes passivos.


Para ajudar os clientes que desejam parar de fumar, a Unimed João Pessoa vai oferecer a partir deste mês um importante apoio: o Inspire Saúde. A primeira turma terá início no dia 28, das 8h às 9h30, no Viver Melhor. As inscrições para participar da atividade já podem ser feitas gratuitamente (confira abaixo).

ENCONTRO

Os encontros são voltados, exclusivamente, para os clientes da Cooperativa. As orientações serão transmitidas por uma equipe multidisciplinar, formada por assistente social, psicólogo, enfermeiro, nutricionista e fisioterapeuta.

As aulas são teóricas e práticas, com inserções de dinâmicas de grupo. Na programação dessa primeira turma serão abordados assuntos como os benefícios para quem deixou o tabagismo, mudança de hábitos alimentares e exercícios respiratórios. Durante o acompanhamento em grupo, experiências serão compartilhadas entre os participantes e os profissionais.

INSCREVA-SE!

As inscrições podem ser feitas de forma online, presencialmente ou por telefone:

Internet: clique aqui.
Telefones: 2106-0430 / 3506- 8700
Presencialmente: Viver Melhor (Avenida Bento da Gama, nº 396, Torre)

BENEFÍCIOS

O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina, substância presente nos produtos à base de tabaco. O tabaco causa dependência, além de ser um fator de risco para cerca de 50 doenças segundo o Ministério da Saúde. Veja alguns benefícios para quem para de fumar:
 

  • Após 8 horas sem fumar o nível de oxigênio no sangue se normaliza
  • Após 3 semanas sem fumar é observada melhora na respiração e circulação sanguínea
  • Após 1 ano sem fumar o risco de morte por infarto já diminuiu pela metade

Entenda a importância do café da manhã para a saúde e o bem-estar

Publicada em 13/05/2019 às 07h
Entenda a importância do café da manhã para a saúde e o bem-estar

Se você é do tipo que pula o café da manhã, seja por falta de apetite, pressa ou preguiça, ou que prefere dormir um pouco mais a ter de fazer essa refeição, precisa mudar esse hábito. Isso porque o café da manhã é considerado a primeira e a principal refeição do dia. Mas, afinal, o que justifica que o café da manhã tenha tanta importância?

Segundo os especialistas em nutrição, um dos motivos é que os alimentos dessa refeição são os primeiros combustíveis do dia. Depois de várias horas em jejum, o corpo – especialmente o cérebro – precisa de alimentos. Outra boa razão: se você não se alimenta corretamente no início do dia, pode apresentar hipoglicemia devido à baixa presença de glicose no sangue.

E o resultado dessa falta de nutrientes no organismo vem por meio de tontura, náusea e até desmaios. Além disso, a falta de um café da manhã pode contribuir para a alteração no humor, dificuldade de se concentrar e, a longo prazo, levar ao sobrepeso e à obesidade. Isso porque, ao pular o café da manhã, a pessoa tende a comer muito mais na refeição seguinte. 

MUDANÇA DE HÁBITOS

Mas não basta acordar, tomar uma xícara de café e sair. É preciso se atentar ao que é consumido, incluindo alimentos saudáveis nessa primeira refeição. E há uma forma muito prática de ser seguida para dar um pontapé inicial nessa mudança de hábitos.

O Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, sugere que as três principais refeições diárias – café da manhã, almoço e jantar – devam se aproximar do atendimento das porções diárias recomendadas. Dessa forma, considerando a importância e as vantagens do seu consumo adequado, o café da manhã pode ser responsável pelo consumo de algumas ou de todas as porções diárias de alguns grupos alimentares, como o dos cereais, das frutas e sucos naturais, além do leite e seus derivados.

Essas mudanças podem contribuir para uma adequação nutricional ao longo do dia, e com isso auxiliar na diminuição de sobrepeso e de obesidade e, ainda, melhorar o rendimento no trabalho e até o escolar, em crianças e adolescentes.

NUTRITIVO E SAUDÁVEL

De acordo com o Guia, você pode se alimentar de maneira saudável, respeitando a cultura local e alguma eventual restrição alimentar, porém, mantendo algumas recomendações, como preferir alimentos in natura ou minimamente processados, utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades, limitar o uso de alimentos processados e evitar aqueles ultraprocessados, como frituras e embutidos.

Veja alguns exemplos de grupos de alimentos que podem compor o seu desjejum:  

 

 

Frutas

Vão proporcionar vitaminas e minerais importantes para o organismo. Porém, não exagere na dose: uma porção da fruta de sua preferência é o suficiente. Se possível, prefira a fruta ao suco.

 

 

Grão e cereais integrais

Além de serem ricos em vitaminas e minerais, consumir grãos e fibras é importante também porque eles ajudam no funcionamento do intestino. Além disso, muitos deles fornecem carboidrato de baixo índice glicêmico, aminoácidos essenciais e gorduras insaturadas (a boa gordura) que diminuem a inflamação do organismo e o colesterol ruim (LDL), ao mesmo tempo que dão mais saciedade. Bons exemplos: chia, linhaça, quinoa, granola (sem adição de açúcar) e aveia.

 

 

Leites, queijos e derivados

É fundamental contar com uma boa fonte de proteínas no café da manhã. E elas podem ser encontradas no consumo de leite desnatado ou leite de soja, além da ingestão de ovos, iogurte e queijos magros. Tais alimentos repõem as proteínas perdidas que são essenciais para a recuperação dos músculos, a formação de anticorpos, hormônios e enzimas.

 

 

Pães, tapioca, mandioca, batata doce, inhame

Pão e torradas integrais, além de farelo de aveia, tapioca e tubérculos, como batata doce e inhame, também podem ser consumidos, por serem fontes de carboidrato de médio ou baixo índice glicêmico (liberam apenas a glicose necessária para o bom funcionamento do cérebro, sem sobrecarregar o corpo) e possuírem fibras e demais substâncias que ajudam no sistema digestivo.

 

Confira algumas dicas para cuidar da saúde no ambiente de trabalho

Publicada em 03/05/2019 às 07h
Confira algumas dicas para cuidar da saúde no ambiente de trabalho

Passar horas a fio se dedicando a uma mesma atividade, seja sentado ou em pé, a sós ou compartilhando o espaço e ideias com outras pessoas, pode ser muito mais do que cansativo. Se o ambiente for de muita competitividade, de cobranças, com a necessidade de lidar com prazos cada vez mais curtos, você pode agregar à sua saúde – física e mental – mais um desgaste, o do estresse. Por isso, é sempre importante não deixar a saúde de lado e buscar qualidade de vida dentro e fora da empresa.

Estudos apontam que trabalhadores com estilo de vida estressante, que fumam ou ainda têm uma profissão com alta exigência cognitiva, correm um risco maior de precisar se ausentar por uma licença médica por causa de problemas relacionados à saúde mental. Além disso, tensão muscular, dores nas costas e de cabeça também costumam estar relacionados a problemas de saúde no trabalho.


NOVOS HÁBITOS

 

Essa dica é para quem trabalha sentado, em frente ao computador o dia inteiro: mesmo que esta não seja uma tarefa pesada, exige muita concentração, causando tensão muscular, podendo afetar o pescoço, os ombros, o dorso e os membros superiores e inferiores. Essa atividade enquadra-se naquelas em que a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) estabelece intervalos de dez minutos a cada 90 minutos trabalhados. Ou seja, mexa-se. Levante, caminhe, beba água, vá ao banheiro. Se puder, faça pequenos movimentos de alongamento. Pode não parecer, mas esses pequenos intervalos fazem muito bem à saúde física e mental.

 

SIGA AS DICAS:

  • Confira se a cadeira e o computador estão de acordo com a sua altura. Lembre-se de que o computador deve estar na linha dos olhos
  • Se você trabalha muito tempo sentado, procure colocar um apoio sob os pés e assim prevenir que eles inchem ao fim do dia
  • Não trabalhe com fome. Leve sua própria lancheira, com alimentos pouco calóricos, mas nutritivos, como um sanduiche natural, uma fruta, um suco, um pote de iogurte ou um pacotinho com nuts (nozes, castanhas, amêndoas, semente de abóbora e amendoim)
  • Procure dormir bem na noite anterior ao trabalho. Algumas pessoas precisam de sete, oito, nove horas para manter a disposição. Então siga o seu relógio biológico e descanse o quanto for necessário
     

ATIVIDADE PRAZEROSA

Para manter a saúde física e emocional, procure incluir no seu dia a dia atividades que lhe dão prazer, dentro e fora do ambiente de trabalho. Siga algumas dicas:

  • Procure manter o prato colorido, com uma alimentação saudável, rica em frutas, verduras, legumes, ovos, carnes e peixes magros
  • Inclua na sua rotina uma atividade física que você goste, assim, a chance de você desistir na segunda semana diminui
  • Cultive bons relacionamentos dentro e fora do ambiente de trabalho

 

 

  • Aproveite ao máximo o tempo livre na companhia de familiares e amigos
  • Realize as consultas e exames periódicos do trabalho
  • Procure participar das atividades físicas e de bem-estar do trabalho, como ginástica laboral
  • Faça um check-up médico anualmente, realizando os exames indicados pelo profissional



 

Com informações da Unimed do Brasil

Alimentação da mãe precisa ser reforçada durante a amamentação

Publicada em 29/04/2019 às 07h
Alimentação da mãe precisa ser reforçada durante a amamentação

O que comer durante a amamentação? Tem algum alimento que aumenta a produção do leite materno? Essas são algumas dúvidas comuns entre gestantes e mães de recém-nascidos. Afinal, elas precisam estar saudáveis para nutrir o bebê. A lactante precisa ter uma alimentação adequada, pois a produção de leite exige do organismo da mulher uma ingestão de calorias e líquidos além do habitual. 

Segundo a nutricionista Paula Bacalhau, que integra a equipe multidisciplinar do Viver Melhor da Unimed João Pessoa, o importante é que a dieta da mãe durante a amamentação seja saudável. “Ela precisa ser rica e variada, mas acima de tudo repleta de alimentos naturais, como vegetais”, enfatiza.

A especialista disse que o ideal é comer cereais integrais e proteínas magras, evitando alimentos industrializados e muito gordurosos, que não acrescentam valor nutricional nem para a mãe nem para o bebê. Durante a amamentação, mesmo com o aumento da necessidade calórica a ser consumida, a mãe perde bastante peso, de forma lenta e gradual. “Isso ocorre devido à energia que é desprendida para a produção de leite materno”, explica Paula.

CURSO PARA CLIENTES

Para orientar as clientes gestantes ou mães que estejam amamentando, a Unimed João Pessoa vai realizar mais uma edição do Curso de Amamentação, no dia 16 de maio, das 13h30 às 17h30, no Viver Melhor. Durante a atividade, serão esclarecidas dúvidas sobre os principais mitos da amamentação. Aspectos nutricionais, emocionais e o manejo clínico serão abordados durante o curso, que é aberto para cliente levar um acompanhante.

Os interessados podem se inscrever, gratuitamente, pelo Portal Unimed João Pessoa, na seção Viver Melhor (acesse aqui),  por telefone (2106-0430 e 3506-8700) e presencialmente no Viver Melhor (Avenida Bento da Gama, nº 396, Torre -antiga Aliança Francesa, próximo à sede da Unimed João Pessoa).

O Curso de Amamentação, direcionado às clientes da Cooperativa, faz parte das atividades do Grupo de Educação em Saúde Mãe e Bebê.

O QUE COMER

Para a alimentação da mãe que amamenta é recomendado:

  • Cerca de 4 a 6 porções de frutas ao dia, distribuídas nas três principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) e nos lanches;
  • Consumir verduras, legumes e hortaliças, tanto no almoço quanto no jantar;
  • Variar o consumo de proteínas ao longo da semana (carnes vermelhas magras, frango e peixe), sendo elas cozidas, grelhadas ou assadas ao forno;
  • Ovos, leite e derivados de leite também são permitidos, de acordo com a tolerância de cada pessoa;
  • Consumir carboidratos preferencialmente integrais (arroz, macarrão, pães, etc) e os mais naturais possíveis, como raízes e tubérculos (inhame, macaxeira, batata doce).