A- A+

Artigos Médicos

Christiane Ferrer Arruda

Christiane Ferrer Arruda

CRM-PB: 5220 Especialidade: Alergia e imunologia

Como melhorar a resposta imunológica na infância

Publicada em 12/07/2019 às 18h

O sistema imunológico é um intricado arranjo de mecanismos de defesa que protegem o nosso organismo contra agentes estranhos e causadores de patologias. Este sistema ainda não é competente na infância, ficando os pequenos mais vulneráveis a processos infecciosos até a idade de 7 anos, aproximadamente.

Quando começam a frequentar a escola, a propagação de vírus e bactérias acontece com muita facilidade. No entanto, algumas medidas podem ser tomadas para o fortalecimento desta defesa.

Primeiramente, consideremos os fatores nutricionais. Nos primeiros meses, é o leite materno que possui a quantidade correta de calorias, proteínas e nutrientes para a construção deste sistema e é através dele que a mãe passa para o filho os anticorpos que ela já produziu, protegendo-o de várias infecções.

Depois do período de lactação, é muito importante manter o foco na escolha de uma boa nutrição, considerando sempre os micronutrientes que são relevantes ao bom funcionamento do sistema imunológico, tais como as vitaminas A, B6, B12, C, D e E, ácido fólico, zinco, ferro, selênio e cobre. Eles aumentam a imunidade, atuando no aprimoramento das barreiras físicas como pele e mucosas e são necessários para a produção de anticorpos e funções das células deste sistema.

A vacinação preconizada no calendário de vacinação infantil constitui outra medida de extrema importância, prevenindo formas graves de doenças e evitando a disseminação dos patógenos para a população em geral.

Deve-se ressaltar também a necessidade do sono reparador, pois a falta dele causa um aumento do cortisol, hormônio que está relacionado a uma diminuição da imunidade. Já a atividade física, se for moderada e compatível com a idade, também atua modificando o padrão imunológico para um modo que proporciona uma maior resistência a infecções.

E, por fim, lavar as mãos frequentemente, reduzir o consumo de comidas industrializadas e evitar o uso indiscriminado de antibióticos são outras medidas relevantes para que os pequenos sigam mais saudáveis e felizes.