A- A+

Artigos Médicos

Júlia Guedes Cardoso

Júlia Guedes Cardoso

CRM-PB: 7422 Especialidade: Otorrinolaringologista

Sinusite: descubra a forma mais eficaz de tratamento e prevenção

Publicada em 02/03/2020 às 18h

Se você não teve, com certeza conhece alguém que já teve ou tem sinusite. Ela é caracterizada pela inflamação da mucosa do nariz e seios da face, sendo uma das doenças mais prevalentes das vias aéreas. Pode ser classificada em Sinusite aguda ou crônica, de acordo com o tempo de evolução dos sintomas e frequência do seu aparecimento.

Os sintomas são variados, sendo os principais a obstrução nasal, presença de secreção nasal, dor de cabeça ou pressão na face, diminuição do olfato, sangramento nasal, tosse, cansaço e até febre. Na crise aguda, os sintomas podem durar até 4 semanas, enquanto na  crônica eles persistem por mais de 12 semanas.

A rinossinusite é consequência de processos infecciosos bacterianos, fúngicos e principalmente virais. A rinite alérgica, gripes e resfriados também podem ocasionar a doença por comprometimento inflamatório da mucosa. Poluição ambiental, tabagismo, refluxo e alterações anatômicas da cavidade nasal, como desvio de septo, aumento das adenoides, pólipos ou hipertrofia dos cornetos nasais também são fatores predisponentes.

O primeiro passo para diagnosticar a sinusite é procurar um médico otorrinolaringologista. Ele vai identificar a causa dos sintomas baseado na história clínica, examinar as vias aéreas por meio de uma rinoscopia ou endoscopia nasal e, quando necessário, solicitar exames de imagens complementares (como a tomografia dos seios da face). É por meio desse diagnóstico que o médico decidirá a melhor forma de tratamento.

Para tratar a doença, deve-se consultar um especialista para saber qual a melhor indicação terapêutica. No geral, é indicado o uso de medicações sintomáticas, como descongestionantes orais, corticoides orais, sprays nasais contendo corticoides e lavagem nasal com soro fisiológico. Os antibióticos estão indicados para tratamento da inflamação causada por infecção bacteriana.

  Na sinusite crônica, em casos refratários ao tratamento clínico e/ou associados à alterações da anatomia, a intervenção cirúrgica é indicada. O objetivo da cirurgia é desobstruir os canais de drenagem dos seios da face para a cavidade nasal e remover o tecido doente dessas cavidades.

Os casos de sinusite aguda podem ser curados em poucos dias, caso seja feito o tratamento adequado. Já a sinusite crônica tem cura, desde que a causa primária seja tratada, como por exemplo, um desvio de septo nasal.  A melhor forma de prevenir a doença é mantendo a mucosa nasal hidratada e cuidando bem da saúde no dia a dia. São recomendadas as lavagens nasais diárias com soro fisiológico; manter o ambiente domiciliar sempre limpo e arejado, evitando o acúmulo de poeira; ingestão de líquidos; vacinar-se contra a gripe; tratar adequadamente doenças como rinite alérgica, asma ou alterações da anatomia nasal. Procure um otorrinolaringologista. O diagnóstico adequado é fundamental para que se possa estabelecer o tratamento.