A- A+

Artigos Médicos

José Lopes Filho

José Lopes Filho

CRM-PB: 6676 Especialidade: Neurocirurgia

Fratura osteoporótica na coluna vertebral: diagnóstico, tratamento e prevenção

Publicada em 04/11/2016 às 18h

Osteoporose é uma doença osteometabólica caracterizada por um desbalanço no metabolismo ósseo, acarretando redução da densidade/qualidade do osso e predisposição para fraturas/colapso, principalmente na coluna torácica e lombar.
Os principais fatores de risco são: idade acima dos 65 anos, mulheres brancas com baixo IMC (Índice de Massa Corporal), sedentarismo, tabagismo, história familiar positiva, usuário crônico de corticoides, alterações hormonais e história prévia de neoplasia.

Quadro típico é dor aguda intensa em coluna dorsal após pequeno trauma (ex. queda da própria altura). Alteração de sensibilidade e de força em membros inferiores podem ocorrer quando há compressão mielorradicular. Fraturas antigas podem ocasionar dor crônica, quadros depressivos, redução da qualidade de vida e aumento de morbidade. Cifose progressiva e redução da performance motora também são observadas.

Diagnóstico é confirmado pela história clínica associado com densitometria óssea e exames de imagem da coluna vertebral (radiografia, tomografia computadorizada e ressonância nuclear magnética). Investigação laboratorial específica também se faz necessária.

Tratamento clínico da fratura aguda com analgésicos/anti-inflamatórios, fisioterapia e imobilização com órtese externa é efetivo na maioria dos casos. Nos pacientes refratários ao tratamento clínico, procedimentos percutâneos minimamente invasivos como vertebroplastia e cifoplastia auxiliam no tratamento do quadro álgico, assim como no reestabelecimento da altura do corpo vertebral colapsado. Estes consistem no preenchimento do corpo vertebral fraturado com cimento ósseo guiado por radioscopia. Apenas pequena porcentagem dos pacientes irá precisar de tratamento cirúrgico convencional quando há sintomas de compressão mielorradicular. Tratamento da osteoporose com bifosfonados e repositores de cálcio auxiliam na melhora da massa óssea e redução de fraturas.

Prognóstico geralmente é bom, com remissão do quadro álgico e pouca limitação funcional. Deve-se incentivar idosos com fatores de risco para osteoporose a manter atividade física regular, banhos de sol matinal e ingesta de alimentos ricos em cálcio para prevenção primária desta patologia.