A- A+

Hospital Alberto Urquiza Wanderley

Humanização

Humanização

Na área da saúde, cada vez mais tem se buscado o equilíbrio entre o aparato tecnológico e os cuidados com as necessidades existenciais do paciente. É a humanização no atendimento, um processo irreversível discutido no mundo inteiro e implantado no Hospital Alberto Urquiza Wanderley, com a finalidade de tornar mais rápida e menos traumática a recuperação dos pacientes.

As pessoas internadas na instituição recebem mais do que o tratamento médico de suas patologias. Elas contam com um atendimento acolhedor, baseado no respeito pelo ser humano, considerando sua individualidade e necessidades específicas.

São várias as iniciativas na área de Humanização no Hospital Unimed. Confira algumas:

  • Disque Amamentação

    O Disque Amamentação é um serviço para as mães de bebês recém-nascidos. Com um simples telefonema, elas podem tirar alguma dúvida que tenham sobre amamentação. O serviço funciona 24 horas, todos os dias da semana. São dois telefones à disposição: 2106-0393, para ligações das 7h às 19h, e 2106-0352, para ligações das 19h às 7h. 

  • Espaço Maternar

    As famílias de bebês que necessitam de cuidados na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal e na Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal (Ucin) do Hospital Alberto Urquiza Wanderley contam com o Espaço Maternar, um ambiente humanizado onde mães e pais podem descansar, aprender sobre os  bebês e trocar experiências. Aberto todos os dias da semana, das 7h às 22h, no Maternar são realizadas diversas atividades com uma equipe multiprofissional.

  • Uniamigos da Alegria

    As crianças internadas no Hospital Alberto Urquiza Wanderley recebem um atendimento especial, através do grupo Uniamigos da Alegria, uma trupe de "doutores" muito animados, formada por funcionários da Cooperativa, que atuam como voluntários. Durante as atividades, os Uniamigos contam histórias e fazem brincadeiras, estimulando a imaginação e a criatividade das crianças, tornando o ambiente de internação mais leve e menos traumático. Além disso, o grupo interage com toda a equipe médica, de auxiliares e corpo de apoio da empresa, levando estes públicos a uma convivência harmoniosa.

  • Sala de Recreação

    Os pequenos pacientes também contam com uma Sala de Recreação - a Brinquedoteca. Neste ambiente, o lúdico ajuda a esquecer a tristeza e a dor causadas pelas enfermidades, possibilitando à criança um modo de conferir sentido encantado às suas próprias experiências, contribuindo para a ampliação da sensibilidade, percepção, reflexão e imaginação. Na Brinquedoteca, elas brincam; escutam, contam e criam histórias; fazem pinturas, desenhos com pincéis e aquarela, e apresentações teatrais. As atividades são voltadas para crianças com idade entre zero e 17 anos, que estejam hospitalizadas ou visitando os pais internados. O espaço é aberto de segunda a sexta, das 8h às 17h, e aos sábados, das 8h ao meio dia. A Brinquedoteca funciona no quinto andar do Hospital Alberto Urquiza Wanderley.

  • Projeto Criança Feliz

    Mas os diferenciais para as crianças não param por aí. Elas contam com o Projeto Criança Feliz, que tem a finalidade de proporcionar uma assistência humanizada. A operacionalização do projeto tem início no pré-operatório. No dia do procedimento, a criança é recebida por um profissional para a checagem do pré-operatório (exames, jejum, higiene etc.) e encaminhada para o setor pré-operatório, onde vivencia a demonstração simbólica do processo cirúrgico e realiza atividades lúdicas com desenhos, pintura e brinquedos de fácil higienização. Se preferir, pode assistir a canais infantis de televisão. Além disso, a conhecida roupa do Centro Cirúrgico é substituída por vestimenta estampada com temas infantis, gorros e propés (sapatinhos) coloridos. Em seguida, a criança - juntamente com o pai, a mãe ou responsável - é convidada a entrar na sala de cirurgia em uma cadeira de rodas ou em um carrinho de passeio. No leito hospitalar, para estimular à criança a aceitar a alimentação oferecida e os medicamentos prescritos, elas são presenteadas com uma coroa e um diploma. A coroa e o diploma remetem ao universo infantil e são recompensa pela colaboração dos pequenos pacientes. 

  • Redinha e Musicoterapia

    Na UTI Neonatal e Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin), duas técnicas de humanização têm contribuído para diminuir o período de internação hospitalar dos recém-nascidos. São a técnica da Redinha e a Musicoterapia. Associadas, elas proporcionam conforto e melhoram o ganho ponderal, a postura, o estado comportamental e o desenvolvimento neuronal dos bebês. Além disso, reduzem as alterações fisiológicas, as apneias e a necessidade de oxigênio. As técnicas são utilizadas em bebês prematuros estáveis, mais chorosos e irritados, que não estejam utilizando oxigênio e nos momentos em que as mães não possam estar com eles.

  • Paciente Exemplar

    Uma ação de humanização do Hospital Alberto Urquiza Wanderley ajuda as crianças que precisam tomar medicação e fazer uso do soro durante a internação. Quem toma toda a medicação ganha uma Coroa de Paciente Exemplar para ser a princesa ou o príncipe do hospital. Além disso, elas também ganham um diploma pelo bom comportamento. A medida tem tornado menos traumático o momento da medicação, quando - geralmente - as crianças ficam agitadas.

     

  • Menestreis da Tarde

    No Hospital Alberto Urquiza Wanderley, a música tem um papel de destaque. Esta é uma das formas utilizadas para diminuir a ansiedade e, consequentemente, acelerar o processo de recuperação dos pacientes internados. Dentro desse contexto, surgiu o grupo Menestréis da Tarde, formado por funcionários que, uma vez por mês, (das 16h às 17h) e em datas comemorativas, voluntariamente, utilizam a voz e sons de instrumentos para complementar a assistência aos pacientes, através dos benefícios da música. Estudos mostram que a melodia trabalha o emocional, o racional e a melhora do humor, diminuindo os sinais de ansiedade. Além disso, ameniza a dor, distraindo o paciente e desviando a atenção do barulho do monitor, do dreno e do tubo de oxigênio, por exemplo.

  • Momento Família

    Outro projeto de humanização implantado na UTI Neonatal do Hospital Alberto Urquiza Wanderley é o Momento Família. Duas vezes por semana, nas segundas e quartas-feiras, a partir das 16 horas, são abertas as cortinas da unidade durante 30 minutos, para possibilitar que os familiares que não têm acesso ao local vejam os bebês. A ideia do  Momento Família é desmitificar a visão negativa que se tem da UTI, tranquilizando os familiares. A entrada dos pais na UTI Neonatal do Hospital é permitida a qualquer momento que desejem ver a criança. Já os avós têm acesso aos domingos. O Hospital é o único da Paraíba que permite avós na UTI Neonatal.

  • Orações

    Em meio a uma série de sentimentos, que, por vezes, se misturam durante alguns momentos particulares da vida de uma pessoa, é necessário parar para refletir sobre si, a vida e os desafios, principalmente quando se está em um hospital. Por isso, o Hospital Alberto Urquiza Wanderley disponibiliza um espaço reservado e silencioso para essas reflexões espirituais, aberto todos os dias. A capela, que fica no quarto andar, é o espaço onde as pessoas podem refletir sobre a vida e fazer orações. Às quartas-feiras, às 17 horas, é realizada uma missa na capela. Já às 18h30, no auditório do hospital, é realizado um culto. As duas cerimônias são abertas para clientes, funcionários e médicos cooperados.

  • Apoio Psicossocial

    O tratamento que, em alguns momentos, pode ser doloroso passa a ter outro significado com uma ajuda especializada, transformando as horas de tensão, preocupação e cansaço em momentos de força e aprendizado. No Hospital Alberto Urquiza Wanderley, os pacientes e seus parentes contam com o apoio das equipes do Serviço Social e do Setor de Psicologia, que realizam um trabalho de acolhimento. Além de prestar todo o apoio necessário, as assistentes sociais contribuem para que clientes e acompanhantes se familiarizem com as rotinas e normas do Hospital. Já a equipe de psicólogas presta assistência nos períodos pré, trans e pós-cirúrgicos, ou quando houver solicitação.