A- A+

Artigos Médicos

Fernando Lianza Dias

Fernando Lianza Dias

CRM-PB: 2547 Especialidade: Cardiologista

Cálcio e hipertensão

Publicada em 03/01/2014 às 18h

A hipertensão arterial sistêmica é uma das doenças crônicas mais comuns nas sociedades industrializadas. Constitui-se um fator de risco primário para as doenças cardiovasculares, renais e cerebrais, já compreendido por todos - não só cardiologistas, mas médicos e paramédicos que atuam nessa área específica. Fiquem certos, caros colegas, que o assunto em questão continua cada vez mais atual e instigante. Assim sendo, os dados, tanto de pesquisas epidemiológicas quanto de estudos clínicos, têm mostrado que o metabolismo do cálcio é alterado em indivíduos portadores de hipertensão, indicando um papel primário do cálcio na etiologia, prevenção e tratamento da patologia. Esforços de pesquisa no mundo inteiro identificaram anormalidades em muitos parâmetros bioquímicos do metabolismo do cálcio nas pessoas com pressão arterial elevada. As experiências com a suplementação de cálcio têm se mostrado com graus variados em termos de resposta clínica.

Concluindo-se que, de um modo geral, muitos pacientes hipertensos podem se beneficiar de um aumento na ingestão de cálcio. O efeito do cálcio na diminuição da pressão sanguínea pode ser de particular benefício para as pessoas idosas de origem africana e mulheres grávidas. As interações entre os nutrientes da dieta foram mostradas como sendo decisivas no efeito do cálcio sobre a hipertensão arterial, em particular o sódio e o potássio. Finalmente, baseado no conjunto de dados que se acumularam nesta área específica, a ingestão do cálcio é postulada como sendo aplicação clínica no tratamento da hipertensão associada ao álcool, sensível ao sódio e induzida pela gravidez e no diabetes mellitus do tipo 2. A ingestão adequada de cálcio em longo prazo pode ser um meio de se evitar o desenvolvimento da doença hipertensiva.

Que conclusões poderíamos extrair deste assunto, de tão grande importância para a prática médica diária?

1ª) Apesar dos fantásticos avanços da medicina e nosso particular, da cardiologia, não chegamos, ainda, nem próximo à terapêutica ideal no manuseio desta entidade nosológica que vem assolando o mundo moderno.

2ª) Portanto, devemos considerar que a hipertensão arterial continua sendo um dos males do século.

3ª) Uma indagação: o cálcio vai representar um alento para o futuro? O tempo, os estudos e as pesquisas vão responder algum dia.

4ª) Por último, não devemos nunca esquecer que a hipertensão arterial continua sendo uma doença de saúde pública, sendo necessário vislumbrar em primeiro plano a prevenção e nunca esquecer esta assertiva: é melhor prevenir do que remediar.