A- A+

Artigos Médicos

Thiago Lins Almeida

Thiago Lins Almeida

CRM-PB: 5878 Especialidade: Oncologia clínica

Dia mundial de combate ao câncer

Publicada em 10/02/2020 às 14h32

O Dia Mundial de Combate ao Câncer acontece em 4 de fevereiro com o propósito de desmistificar e conscientizar sobre o câncer. Falar sobre o câncer é investir em saúde e vida, incentivando seus níveis de prevenção, o diagnóstico precoce e a pesquisa clínica para tratamentos mais eficazes. Para uma melhor ação no combate ao câncer, centros especializados são difusores para treinamento, tecnologia e tratamento eficazes. De outro modo, mitos, estigmas e crenças salvadoras podem atrapalhar o paciente e seus familiares no caminho para cura.

  Em todo o mundo, cerca de 9,6 milhões de pessoas são acometidas a cada ano, enquanto um terço desses casos poderiam ser evitados. Cerca de 70% ocorrem em países de baixa e média renda, com ônus de aproximadamente US$ 1,2 trilhões. Ao mesmo tempo que este investimento deixa de ser direcionado à prevenção e vida saudável, verificamos o retorno do tabagismo eletrônico na população jovem. No Brasil, o INCA publicou a estimativa do impacto do câncer na população em 4 de fevereiro (https://youtu.be/t2hws1pSNi0).

  Dicas de prevenção: óculos escuros, chapéu de aba larga, roupas compridas e protetor solar diariamente; vacinação contra hepatite B; eliminar o tabagismo; reduzir o consumo de bebidas alcoólicas e manter alimentação saudável e exercícios físicos diários. A vacinação entre jovens contra o HPV poderá erradicar o câncer de colo uterino.

  Dicas para rastreamento: autoexame nas mamas, na pele, na cavidade oral e nos gânglios;  visitar seu ginecologista e mastologista anualmente; realizar o exame Papanicolau e a mamografia; consultar o urologista (toque retal e exame de PSA); colonoscopia acima 50 anos e a tomografia computadorizada de pulmão para os tabagistas. A realização dos exames sempre deve ser solicitada pelo seu médico.

  Após o diagnóstico, a sobrevivência inclui os cuidados de acompanhamento, controle de efeitos colaterais, qualidade de vida para saúde psicológica e emocional. Nesse sentido, a assistência paliativista deve ser incorporada ao diagnóstico na prática clínica do médico, do paciente e dos cuidadores para mitigar as adversidades do tratamento e o burnout entre eles. Nesse ano, o HULW formou mais de 30 especialistas e o Hospital Laureano capacitou 25 colaboradores, enquanto a Fundação Unimed realiza pós-graduação em Cuidados Paliativos. Vivenciamos o avanço de uma melhor assistência para mais pacientes.

  Assim, faça sua ação: envie mensagem para toda família, convide os vizinhos e amigos do bairro, pais escolares, mídias sociais e facilite o diálogo sobre o câncer de forma preventiva e positiva. Devemos permanecer sentinelas aos cuidados para prevenção, diagnóstico precoce e tratamento dos diversos tipos de câncer (https//www.worldcancerday.org/pt-br/o-que-e-o-cancer).