Artigos Médicos

Nunca foi tão fácil parar de fumar

Publicada em 27/08/2006 às 00h

O fumante que se dispuser a deixar o cigarro sem o auxílio de algum recurso suplementar "" força de vontade "" deve estar consciente que vai conviver de duas semanas a três meses com os sintomas que compõem a Síndrome de Abstinência da Nicotina (SAN): palpitações, nervosismo, ansiedade, inquietude, dificuldade de concentração e uma intensa vontade de fumar. Toda e qualquer tentativa frustrada de parar de fumar está unicamente vinculada a esses sintomas. Antigamente, deixar o cigarro era privilégio exclusivo dos que tinham força de vontade.

Estudos e pesquisas desenvolvidos na década passada tornaram possível a comercialização em 1995 do chiclete nicotinizado que ajuda muito o fumante a superar os momentos mais agudos da SAN. Depois vieram o adesivo de nicotina (atua em 24 horas), o spray nasal (ação em 12 segundos), o inalador de nicotina, o cigarro sem nicotina, o comprimido sublingual e a bupropiona, um comprimido não nicotinizado, mas de eficácia indiscutível. Todos esses produtos têm como princípio básico eliminar ou atenuar os sintomas da SAN, permitindo ao tabagista abandonar o cigarro sem grandes sacrifícios. Dentro da nossa experiência, podemos afirmar com segurança que a junção de dois ou três desses produtos, que atuam se complementando, não deixa qualquer espaço para a pessoa voltar a acender um cigarro.

Não se pode deixar de registrar duas grandes novidades que vão enriquecer ainda mais esse arsenal de produtos antitabaco. Destaque especial para a veniciclina, nova droga lançada nos EEUU pelo laboratório Pfizer com o nome comercial de chantix. Grandes expectativas são depositadas nesse novo medicamento porque ele atua diretamente no sistema nervoso central impedindo que a nicotina libere a dopamina, substância responsável pelo prazer fugaz produzido pelo cigarro. A ausência de sensação de bem-estar irá naturalmente desestimular o fumante a acender o próximo cigarro.

A dependência do fumante está intrinsecamente relacionado com o gen CYP2A6 que determina a velocidade de metabolismo da nicotina no fígado. Intervir nas enzimas que codificam esse gen surge como a grande descoberta e um passo fundamental na luta contra o tabagismo. Estudos recentes com a droga methoxsalen joga enormes esperanças na possibilidade concreta de comercialização dessa substância. Uma ótima notícia para os tabagistas que nesse 29 de agosto, Dia Nacional de Combate ao Fumo, vão ter a grande oportunidade de tomar uma decisão inteligente: parar de fumar.
Sebastião de Oliveira Costa

Sebastião de Oliveira Costa

CRM-PB: 1630

Especialidade: Pneumologia

Mais artigos de Sebastião de Oliveira Costa